4 níveis de inteligência

Existem 4 níveis de inteligência que você deve desenvolver para ter um negócio de sucesso:

1 – Mindset: a maneira como você pensa

Esse é o nível mais alto. Como você pensa a seu respeito, a respeito do mercado, concorrentes. A maneira como você pensa é o que vai fazer você tomar decisões adequadas ou não ao seu objetivo (sim, você primeiro tem que ter um objetivo claro).

As decisões que você toma moldam seu destino, então, cuide muito bem da maneira como você usa sua mente. Tome cuidado com as armadilhas cognitivas e estude muito sobre biografias. Entenda como os grandes líderes pensam.

Não ache que só o conhecimento técnico vai lhe fazer crescer. Ele vai te levar até o nível de ser um bom empregado. Não há nada de errado com isso, desde que você não queira montar um negócio.

O seu modelo de mundo é que vai fazer você se concentrar mais na estratégia ou na operação.

2 – Estratégia: para onde você deve ir

Aqui você deverá traçar a rota para o seu objetivo. Imagine que você é um general explicando que a melhor estratégia para a vitória da 2ª Grande Guerra é invadir a Normandia.

Você não explica quantos navios vai precisar, nem quantos soldados podem morrer, mas sim, a rota. O caminho. Para onde ir.

Esse nível de inteligência deve ser exaustivamente estudado pelo líder. Leia a estratégia de grandes empresas para entender os princípios de uma boa estratégia, seja de conquista de novos mercados, seja de mudança de posicionamento. Biografias também ajudam, mas existem livros de cases.

Procure o que deu certo e principalmente o que deu errado (que é uma literatura mais difícil de se achar). Gosto do livro “Estratégia boa, estratégia ruim“, para quem quiser começar a ler sobre isso.

Geralmente, quando se começa um negócio, você acaba atuando uns 10%, no máximo, nesse nível. O objetivo é você aumentar para uns 80% ao longo do tempo e do crescimento do seu negócio.

3 – Tática: como fazer

Esse é o nível em que você vai descobrir como fazer para seguir a estratégia. Exige inteligência, porém, cada vez mais em um nível técnico.

Imagine que nesse nível você deve falar como vão invadir a Normandia. Quantos navios vai precisar, quantos soldados, qual o melhor dia.

Quando você começa um negócio, acaba atuando nesse nível uns 30%. O ideal é você reduzir para no máximo 20% ao longo do tempo.

4 – Operação: quais botões apertar

Esse é o nível mais baixo de inteligência em um negócio. Aqui, você é o sargento que comenda as tropas na invasão da Normandia, ou você é o cabo ou o soldado que atira com o rifle no meio do tiroteio. Geralmente é o que morre mais rápido.

Quando você começa um negócio, tende a se focar 60% aqui. Se não evoluir para zerar esse nível de inteligência, vai ficar preso na operação e não vai conseguir crescer. Nunca será o maestro, será sempre o instrumentista.

Não há nada de errado em ser o instrumentista, desde que você não queira ser o maestro.

O meu dia a dia é 80% estratégia e 20% tática. Mindset permeia todo o meu dia e o que me permite tomar decisões mais assertivas e que me levem ao meu objetivo.

  • Araújo Corretora

    Ótimo texto!

  • http://www.ElderCristhian.Com/ Elder Cristhian

    Excelente ilustração Conrado. Acredito que se inspirar em grandes líderes é legal, mas nunca devemos copiar estratégias de outras empresas ou de outras pessoas. Afinal, aquilo foi o que deu certo pra eles. Cada um deve estudar e desenvolver as próprias estratégias para os seus negócios, pois cada um tem uma jornada individual, como variáveis muito distintas entre si. Abraços!

  • Maria Pinto

    Bom dia!. Concordo com tudo o que disse, no entanto penso que as competências relacionais das
    pessoas são cada vez mais importantes (rede de contactos, mentores).
    Também destaco a capacidade de liderança, a motivação, a persistência em relação aos objectivos, a capacidade de criar empatia e de influenciar os outros.
    Todas estas competências são aprendidas ou apreendidas, logo nos primeiros anos de vida da criança; ou seja no seio da sua família, no entanto elas podem ser desenvolvidas mais tarde com a ajuda de outras pessoas.

  • YARA DUARTE

    De tantas informações pela Internet, a maioria delas parecem mesmo soltas pelas nuvens, não por serem pouco importantes, mas por não abrir nenhum elo para dar significado aos outros elos da mesma corrente, sem intencionalidade, na minha opinião minha, não há empreendedorismo e isso quando me deparei com seus escritos ficou mais claro. Obrigada.