Como superar as armadilhas da mente humana?

Já parou para pensar como, em inúmeros momentos, acabamos desistindo dos nossos sonhos por pura bobagem? Sabia que boa parte disso é fruto de armadilhas da mente humana?

O nosso cérebro vai muito além de mero responsável pelo raciocínio, já que é o maquinista de uma locomotiva com várias reações e percepções. Cada mensagem enviada para os músculos e as glândulas viaja em uma velocidade digna de um carro de corrida, mas nem sempre são só coisas boas.

Para que tenha uma noção melhor disso e melhore seu mindset empreendedor, trouxemos um miniguia a respeito das armadilhais cerebrais. Confira!

O conformismo

Acontece quando as pessoas ficam aprisionadas em uma situação cômoda, sem coragem de dar o próximo passo e acreditando que todas as adversidades são obra do destino, ou seja, estava pré-determinado que elas iriam se dar mal. Esse tipo de armadilha faz com que muitos profissionais se sintam desmotivados, insatisfeitos e exercendo funções que não gostam.

O medo de ousar deixa o ser humano limitado e impossibilita que ele possa aproveitar, de fato, as oportunidades que passam pelas nossas vidas. Para fugir disso, é preciso analisar as forças e fraquezas, a fim de buscar uma autocrítica sincera em prol do objetivo de entrar na zona de desafio, sabendo que todos nós somos responsáveis pela nossa felicidade.

O coitadismo

Provavelmente, você já deve ter visto os desenhos da Hanna-Barbera em que aparecia a hiena Hardy dizendo: “Oh, céus, oh, vida, oh, azar”, não é verdade? Essa é uma típica atitude de quem se vê como coitado, algo que podemos analisar como uma espécie de conformismo elevado ao quadrado. Afinal, a pessoa entende que tudo está contra ela e assume um papel dramático de espera inevitável pela derrota.

Ao se colocar como vítima em diversos momentos da vida, torna-se mais difícil buscar o crescimento empresarial e conquistar patamares melhores na vida, porque a pessoa se sente presa na própria redoma que formou. Nesse caso, a melhor solução é modificar os comportamentos limitantes e entender que os problemas não vão desaparecer em um passe de mágica, pois eles são necessários para a nossa evolução constante.

O medo de reconhecer os erros

Cada vez mais o mundo molda competidores e isso faz com que tenhamos um receio enorme de assumir uma postura derrotada, ainda que isso não seja demérito para ninguém. O risco de não reconhecer os próprios erros é viver em um ciclo de enganação, acreditando que, ao cometer uma falha, assumirá um lado mais fraco diante de todos.

Essa é uma grande balela que está presente no inconsciente coletivo, ou seja, uma construção errônea de que devemos ser super-heróis o tempo todo. Porém, não é bem assim que funciona, pois as adversidades surgem por sermos falhos e humanos. Tendo isso em mente, a fim de evitar o sofrimento e planejarmos melhor o plano de carreira, vale reconhecer as imperfeições e tirar lições importantes a cada falha.

O medo de correr riscos

Muita gente desiste dos próprios projetos quando identifica os riscos necessários para que eles ocorram. No entanto, essas pessoas mal sabem que estão sabotando as grandes oportunidades que podem surgir ao decorrer do caminho. Estamos sujeitos a vários riscos durante nossa trajetória, tais como viver relacionamentos ruins, perder um emprego dos sonhos, deixar de comprar algo muito importante etc.

A descrença no seu próprio potencial tem muito do conformismo alojado e isso permite que a pessoa se acomode e, naturalmente, tenha muito medo de arriscar, de subir o próximo degrau em busca do sucesso. Por isso, mude essa postura e assuma o controle da sua própria vida, visando se permitir mais e compreender que a existência humana não passa de um gigantesco contrato ao qual lidamos com vários riscos.

Para concluir, lembre-se que estamos o tempo todo aprendendo coisas novas e isso molda o conhecimento, as habilidades e as atitudes em torno de algo. Com o intuito de vencer as armadilhas da mente humana, nada melhor do que uma boa dose de autoconsciência, pois ela será perfeita para superar cada obstáculo.

Se você curtiu o conteúdo que trouxemos hoje, então aproveite a oportunidade e siga as nossas páginas nas redes sociais: estamos no Facebook e no LinkedIn!