Controle os fatores aleatórios

Imagine a seguinte situação:

Você pega seu coração, seus sentimentos, suas emoções, seu estado emocional e entrega nas mãos de outra pessoa. Uma pessoa da qual você não conhece, porém em um dado momento você decidiu, do alto da sua grandeza, dar o seu bem mais precioso de presente para ele. O que você não sabia era que essa pessoa tinha fama de louco. Completamente desvairado, um doido varrido mesmo. Ele pega seu coração e joga pra cima, joga no chão, deixa de lado, quebra, danifica e por aí vai.

E ele leva o seu coração embora, porém você não tem a mínima ideia do que ele vai fazer com ele. Se vai começar a cuidar direito, se vai deixar para escanteio, é uma situação delicada da qual você se arrepende de ter se envolvido. Contextualizando assim, você chega a conclusão de que isso é uma bela receita para dar tudo errado. Muitas vezes é isso que você faz, você entrega suas emoções nas mãos dos outros e fica a mercê da reação alheia.

Você entrega o seu estado emocional…

O seu estado emocional é algo que você deveria guardar e zelar com a sua maior força, porém você dá ele para alguém, pede para que alguém seja responsável por ele. E esse alguém, como eu disse acima, é um louco. Esse louco não precisa ser uma pessoa. Pode ser o mundo, a sociedade a qual vivemos.

O mundo é programado para influenciar no nosso estado emocional, então pensa comigo; se faz sol, você fica feliz, se faz chuva, você fica mais para baixo, se você descobre que um amigo seu que você não vê faz tempo está na cidade, você ficará ainda mais feliz.

Você é o teu locus de controle

A partir deste conceito, você entende que você é responsável pelas coisas que acontecem com você. Você é responsável pelo alimento que você ingere, é responsável por cada palavra que fala e é responsável por cada atitude tomada. Agora tudo o que está fora do seu locus, você não consegue controlar. São consequência intangíveis. Dentro do seu locus existe a auto-responsabilização e fora dele existe a aceitação e frustração. Se você não aceita, você se frustra.

Quando você é intra punitivo, você traz tudo para dentro de si e se culpa por tudo, agora quando você é extra punitivo, você não se culpa por nada e quer colocar aquela culpa em qualquer circunstância ou situação que você estava envolvido. Defina o seu locus de controle, se você deve se punir ou não, e seja mais realista.

  • http://simplicidadeeharmonia.blogspot.com.br/ Simplicidade e Harmonia

    Conrado,

    Maravilhoso post!

    “Dentro do seu locus existe a auto-responsabilização e fora dele existe a aceitação e frustração. Se você não aceita, você se frustra.”
    Muito boa e esclarecedora essa frase.

    Sucesso!

    https://simplicidadeeharmonia.blogspot.com.br