Don’t be evil, but be smart: uma breve análise fria sobre o Google

No curso 8Ps do Marketing Digital ensino os alunos a pensarem fora da caixa e além da interface. Pensar estrategicamente. Um dos assuntos que desenvolvo é entender como que as grandes empresas, como o Google e Facebook, nos transformam em produtos, não clientes (lembre-se de que se você não paga para usar, você não é o cliente, você é o produto). Vamos analisar uma dessas situações.

Em primeiro lugar, vamos seguir a seguinte linha de raciocínio – o Google é uma empresa aberta na bolsa, logo, ela tem basicamente 2 objetivos: gastar menos, ganhar mais. Para mostrar seu poderio ele precisa de dinheiro em caixa, muito dinheiro. E pode ter certeza que há gente dentro do Google só pensando em como ganhar dinheiro. Todos sabemos que onde o Google de fato ganha dinheiro é nos links patrocinados.

E a indústria SEO, que ele mesmo criou? Como fica? O Google tem a utilizado muito bem. Ele tem ensinado os analistas SEO por todo mundo, e são muitos a fazerem exatamente o que ele quer: sites mais leves de maneira que ele gaste menos em processamento de dados, promover Google+ (com o motivo de “sites que tem mais “+1” tem melhor classificação na busca) etc. O Google controla muito bem essa indústria e a partir dela faz com que suas iniciativas sejam muito mais lucrativas. Milhões de profissionais que trabalham por ele fazendo o que ele quer. Lembra daquela brincadeira “siga o mestre”? Falando de lembranças, lembrei de uma outra frase que traduz um pouco esse pensamento.

A questão não é se o jogo é bom ou não, mas sim, saber em qual jogo se está antes de aceitar jogar ou não. O jogo é muito mais complexo e tem muito mais implicações do que vemos nas letrinhas coloridas na telinha minimalista de busca. Muitos de nós não alcança a complexidade de uma empresa enorme como o Google. As estratégias, porém, podem ser desvendadas como em um jogo de xadrez. Ela vai se revelando à medida que o jogo prossegue e as jogadas vão se sucedendo. Vamos continuar nosso raciocínio.

Quanto mais empresas fizerem links patrocinados, mais o Google ganhará dinheiro. Não é na busca natural que o Google ganha dinheiro, logo, ele não pode facilitar a vida dos profissionais de SEO. E não tem facilitado. Pense nas várias atualizações que ele tem feito nos últimos anos. Na verdade, nos últimos meses (e tenho certeza que essa frase não fará esse post ficar desatualizado).

É cada vez mais difícil você fazer um bom trabalho e tudo que é difícil é caro. Hoje boa parte do peso de toda a questão de otimização está no conteúdo. Você deve construir conteúdo único, relevante, que tenha a preferência, não só das páginas (links de entrada), mas também de pessoas (Google +1), tem que ter páginas bem programadas e leves, não pode exagerar (?) em SEO etc. Além disso, de uma hora para outra o Google muda as regras na Googlelândia mexendo no índice e bagunçando a vida de muita gente.

Imagine qual será a primeira atitude de uma empresa que estava na primeira página do Google em uma boa palavra-chave quando o Google mudar algumas regras (ou melhor, atualize o algoritmo) e essa empresa despencar para a décima página da classificação nessa palavra. Essa empresa tem boa parte da sua receita vinda do Google e quando menos percebe fica dependente dele. Não pode mais abrir mão daquele tráfego porque agora, em virtude de uma maior receita, fez investimentos e tem uma estrutura maior, às custas do Google. Não é preciso ir muito longe para saber que a primeira atitude dessa empresa será fazer Adwords.

Por isso sempre digo que você tem que construir a sua lista de e-mails. Ela é que garantirá que você não fique dependente do Google. Uma vez que o Google te entregue uma visita, você tem que converter essa visita em um e-mail, um lead.

Sou capaz de apostar que a cada mudança no algoritmo do Google o seu faturamento (e valor das ações, em um segundo momento) aumenta de maneira significativa.

E toda a questão do conteúdo? Produzir conteúdo não é nada barato. Contratar redatores, criar conteúdo original quase que de maneira contínua pode ser proibitivo para os profissionais liberais, micro e pequenas empresas (até para as médias não é fácil). Para onde essas empresas vão correr uma vez que é cada vez mais “caro” fazer SEO? Para o Adwords. Aliás, os clientes do Google em Adwords não são as poucas grandes empresas com grandes orçamentos, mas sim as centendas de milhões de pequenas empresas e profissionais liberais com baixos orçamentos.

O Google ganha na quantidade, em trilhões de cliques de alguns poucos centavos por mês. Se é justamente a pequena empresa que é seu cliente, é para ela que o Google tem que criar suas estratégias de vendas. Quando o Google torna o SEO algo com alto valor agregado, e o torna proibitivo para as pequenas, ele as empurra para o Adwords. Já tinha resvalado por esse tema de SEO x Adwords em outro post.

É possível imaginar um cenário em que a busca natural será dominada pelas grandes empresas e algumas poucas pequenas empresas e o Adwords será cada vez mais concorrido entre as pequenas. E isso não levará muito tempo na velocidade que estamos indo com as alterações do algoritmo.

  • http://www.links-patrocinados.info Michael Oliveira

    Perfeito! O SEO tem se tornado uma Arte, dominado por poucos e à um custo exorbitante, em contrapartida os Links Patrocinados quando bem feito, possui uma taxa de sucesso mais “mensurável”, uma vez que você pode calcular e decidir investir mais ou menos.

    A resposta certa à pergunta: Quanto você ou o seu negócio tem para investir em Adwords?

    R) Eu tenho ilimitados recursos para investir, desde que você consiga trazer lucro em sua campanha.

    Conrado, mais uma vez, parabéns pelo Post, muito esclarecedor e com conteúdo inteligente.

    Um grande abraço.

  • http://www.estrategia8ps.com.br Nelson Rodrigues

    Conrado, não é a toa que você vem obtendo sucesso, conteúdo inteligente como esse nos faz refletir e pensar cada vez mais em estratégias inteligentes como essa do Google para alavancar nosso negócio.

    Quero parabenizá-lo pela sacada que teve observando essa estratégia do Google, realmente foi muito inteligente.

    Abraços

  • David S Rodrigues

    Acredito pela pouca experiência que o trabalho de SEO não é fácil, é um trabalho que exige muita atenção e dedicação.

    Entender como o Google funciona e manter-se atualizado já é algo fora do comum. Agora ajudar o cliente aventender o trabalho que fazemos e que o Google tem mudanças constantes é algo que encontro dificuldade.

    Tenho usado como didática uma pequena aula, mostrando a diferença entre um e outro e qualidade resultados que estas duas ferramentas podem gerar.

    É bom ver estes posts para abrir mais a visão sobre paus estamos lidando e assim gerar mais valor ao nosso trabalho que é muito bom e gratificante, mas nada fácil.

    Até mais

  • http://www.agiste.com Luciano Rêgo

    Conrado,

    Muito bom o post.

    Desde o início do próprio adwords que tive esta impressão. Quando boa parte dos sites tiver usando só quem ganhará é o google (e quem der mais). Com o SEO segue esta caminho apontado por você.

    Um e-mail valerá muito neste cenário. E aí fica mais fácil a todo tamanho de empresa entregar algo de valor para seus prospects. Mas… até onde vai o e-mail?

  • http://aprendacriarsites.com Rodrigo Maia

    Entra ano, sai ano e mesmo com todas as mudanças em SEO e no algoritmo do Google o conteúdo continua sendo rei.

    Eu como desenvolvedor sempre penso em fazer alguma coisa usando apis de terceiros mas logo vem aquela dúvida: Meu sistema irá depender de terceiros para obter sucesso? Acho melhor não. Isso pode ser comparado com o exemplo de empresas que dependem de tráfego vindo do Google, se as regras mudarem pronto, o lucro cai.

    Não é atoa que muitos blogueiros estão dedicando muito seu tempo para depender cada vez menos do tráfego do Google criando aqueles lightbox pendindo seu e-mail em troca de conhecimento.

    []’s

  • http://www.pluspixel.com.br Claudio

    Conrado, no panorama que apresentas os “mais fortes” ocuparão os lugares privilegiados das SERP’s e é claro que vai ser assim. Mas quanto tempo pensas que passará para que os um “pouco menos fortes” se “apoderem” também do Adwords?. Todo indica que a velha lei que diz que os mais fortes prevalecem colocará às ferramentas de busca nos seus trilhos.

    • http://www.conrado.com.br Conrado

      Eu vejo que no Adwords dependerá mais da boa execução do que do dinheiro. Acho que que no Adwords a batalha será mais equilibrada, mas desde que as empresas de fato saibam fazer uma boa campanha. Palavras de nicho, trabalhar qualidade de página de destino etc…
      O problema não será no dinheiro a ser gasto, mas na capacidade de aprendizado. Quem aprender como fazer uma boa campanha de Adwords conseguirá lucrar, mesmo que seja uma pequena empresa.

  • Fabio Lima

    Conrado não podemos deixar de falar do Adsense aqui também, não é?
    Hoje vários clientes são aversos a incluir uma caixa ou uma linha mesmo que pequena de adsense em seus blogs (na página institucional realmente não rola).
    Já fiz vários testes onde consigo visualizar com facilidade que, entre um blog com adsense e outro sem (com conteúdo trabalhados e com qualidade) o que tem ads fica com uma posição melhor.
    E pensando na sua linha de raciocínio, é claro que sairá na frente, pois o Google tem que mostrar os anuncios do Adwords em algum lugar não é?

  • Paulo Henrique

    O modelo de negócios do Google é fantástico e ultimamente tenho visto muitos documentários, entrevistas, matérias e etc sobre esse alto poder que o Google tem sobre a Internet o principal produto do Google são os usuários e se ele não oferecer um bom serviço ele não terá esse produto, eu particularmente vejo que o Google se esforça para que no serviço que ele oferece seja sempre o melhor, se não tivesse acontecido nenhuma mudança nos algorítimos do Google imagine como seria uma primeira página para um determinado termo concorrido? cheio de páginas de baixa qualidade e isso com certeza tornaria ele em uma ferramenta ineficaz. No final das contas se analisar a fundo todo mundo sai ganhando o usuário encontrando o que procura ou utilizando ótimas ferramentas o empresario aumentando suas vendas, quem fizer o trabalho certinho colherá muitos frutos.

    O próprio Conrado já citou isso por aqui: “Antes de jogar o jogo entenda em que posição você esta e o que você vai ganhar”

  • http://www.floresparavelorio.com.br Noel Reis

    É importante frisar que o brasileiro está clicando mais e mais em links patrocinados mesmo que o site esteja em primeiro lugar nas pesquisas.
    Tenho um exemplo recente de um site com seis links internos para uma determinada palavra chave, fiz uma campanha AdWords e por curiosidade coloquei a referida palavra, o resultado foi 98% de cliques na campanha.

  • http://www.qualificando.com.br Marcelo Gomes

    Concordo que com um conteúdo original, inteligente e bem elaborado, feito por uma equipe profissional e especialista em SEO, além de proporcionar um atrativo para os clientes, ajudará a ocupar as primeiras páginas gratuitas do Google e trará mais resultados em campanhas de links patrocinados.

  • http://www.mgcriacaodesites.com.br Eduardo Almeida

    Mto bom!! Parabéns pelo post.

  • http://www.desconstruir.com Alessander Raker

    O Google está dando muita ênfase na autoria dos artigos (Google author) e na qualidade dos mesmos. Eu acho isso muito bom pois antes qualquer pessoa poderia com estratégia subir de posição nas serps a cada dia apenas quem é realmente uma autoridade no termo poderá ser bem posicionado (essa autoridade é criada através do conteúdo). Isso é justo na minha visão.

    Excelente artigo Conrado

  • http://daniloneto.com/ Danilo Neto

    Parabéns pelo post Conrado, você é a prova que a lista de emails funciona. Pretendo começar a usar em breve nos projetos.

    Não vejo o que você disse em: “É cada vez mais dificil fazer um bom trabalho…” como problema e sim como desafio de adaptação. A questão pra mim seria: “Quando mudar de estratégia?” , as vezes ficamos deslumbrados com os resultados positivos e quando tomamos uma rasteira justamente por essas mudanças, acabamos ficando preso no “jogo” tentando se adaptar ao invés de partir para o Plano B logo. Não vejo “Evil” o que a google faz, é uma estratégia e ela dá resultado financeiro , assim como sei a sua estratégia e não vejo “Evil” a forma como você obtém resultado financeiro nela. Você pode mudar toda a sua estratégia de hoje para amanha se assim o quiser sem prejudicar ninguém. Aliais , o vi fazer várias vezes , :)
    Parabéns mais uma vez. Abraços!

  • http://blog.thiagorodrigo.com.br/ Thiago Rodrigo Alves Carneiro

    Conrado,

    Fui professor da ESPM/SP, onde você também dá aulas, e sou um entusiasta do seu trabalho desde quando o conheci. A exemplo dos matemáticos e estatísticos como eu, você ensina a pensar e questionar a estratégia e não a decorar o uso de ferramentas.
    Meu site AulasdeMatematica.com.br foi, durante anos, primeiro lugar na busca por aulas particulares e professor particular. De repente, a partir de junho/2012, houve uma queda significativa nos acessos e, mesmo com mudanças em SEM/SEO, uma parte destes acessos nunca mais voltou e, na prática, tive de entrar em um novo negócio (blog de desconto em lojas virtuais) que também depende da busca, mas com conteúdo atualizado quase que diariamente. Pensei, em um primeiro momento, usar links patrocinados mas, por outro lado, as experiências com este tipo de serviço não haviam sido das melhores (provavelmente por não ter feito o curso de NinjaPPC do Conrado).

    Conclui que as pessoas dependem muito da internet e o Google sabe e explora isto muito bem. Ainda não dá para comparar Facebook ao Google+ mas, ao mesmo tempo, a pressão enorme pelo uso do Google+ como moeda de recompensa pode trazer mudanças a este jogo de xadrez que faz parte do jogo maior o qual você descreve neste artigo. Quem entende e dispõe de recursos financeiros e intelectuais, se adapta. Quem não entende ou não dispõe de recursos, paga Google AdWords.

    Parabéns pelo post e pelo blog.

    Thiago Rodrigo Carneiro

  • http://www.cartoesegrafica.blogspot.com.br Ary Costha

    Olá Conrado, Parabéns! Vamos parodiar? “Quem não tem conteúdo relevante e útil não se estabelece, nem se se estabelecerá” um abraço, Ary Costha – direto de Salvador – Bahia

  • http://www.andrebraga.com.br André Braga

    Olá Conrado, primeiramente parabéns pelo conteúdo.

    Se entendi bem sua análise a tendência é que cada vez mais o Google prevaleça Adwords e conteúdo original (estratégia de SEO) em seus algoritmos de classificação. Concordo com o nosso amigo aí em cima (Alessander Raker) que conteúdo original soa muito bem, mas também concordo com o seu ponto de vista de que conteúdo original (e bom!) é caro. Sendo assim, mais cedo ou mais tarde será evidente para as empresas que “estar no Google” custa muito alto. Isso vale para as empresas de comunicação, donos de mídias e formadores de opinião.

    A princípio nos parece uma boa estratégia para se fazer mais dinheiro. Mas você não acha que a médio ou longo prazo poderia ser uma estratégia arriscada, uma vez que as empresas que citei em específico (e que também tem o objetivo de gastar menos e ganhar ganhar mais) poderiam simplesmente iniciar uma onda contra o Google, ou à favor de um outro sistema de busca? Digo, ‘a mídia’ tem esse poder não tem? Ou será que o Google só está chegando no seu algoritmo ideal de precificação, uma vez que seu produto, os resultados de uma busca, tem qualidade?

  • http://www.marketingcontabil.blogspot.com.br/ Prof.Katê

    Parabéns, Conrado Adolpho, essa sua capacidade de sempre dar “o tom” para que os diferentes instrumentos sejam
    devidamente “afinados”(compreendidos, percebidos), e “os artistas da banda” possam proporcionar um espetáculo estratégico, de resultados gratificantes à platéiawww, aos contratantes-patrocinadores e aos “donos da casaG de shows”, com mais chances de sucesso/satisfação para todos.

  • http://www.realimoveis.com.br/ Junior

    Conrado, tenho percebido neste último mês que o Google tem dado muita importância não só para o conteúdo único, mas para a atualização e frequência desse(s) conteúdo(s) no site, o que pra quem trabalha com Adsense e tem muitos sites de nicho é péssimo, pois vira e mexe é necessário fazer um novo post ou mudar algo em um site que já estava nas primeiras posições dando um bom lucro.

    Tenho dois sites que trabalho a mesma palavra-chave na mesma Serp (sem adsense) e para a minha surpresa o que tem mais backlinks está pior rankeado (não tem nenhum aviso de links suspeitos no GWT em nenhum dos dois sites), o que eu atualizei o conteúdo continua entre os primeiros, o outro, com mais backlinks mas conteúdo não atualizado, caiu para a segunda página.

    Fiquei com isso na cabeça (atualizar o conteúdo) e fui mexer com um outro site que eu tenho que estava lá no final da primeira página, bom sem fazer nada de link building só mexendo no conteúdo ele subiu para segundo….. o que me leva a crer que agora o Google tem dado um peso maior para a atualização e frequência do conteúdo do que para os links que te apontam.

    Abraço,

    Junior

  • Mauricio Gomide

    Excelente post, Conrado. Você já nos havia alertado para o tema. Mais uma vez o fez com a sua já conhecida clareza.
    Valeu. Obrigado.

  • http://www.clicfolio.com/todesco Roberto Todesco

    Ainda bem que a magia da internet tem encontrado mentes brilhantes, como a sua. grato.

  • Maria Elisabeth Cascardo

    Isto já está ocorrendo em sites de busca como o ZAP, classificados online do O Globo. Em uma primeira busca por imóveis para comprar ou alugar, só aparecem os imóveis anunciados pelas grandes construtoras, imobiliárias e corretoras. O corretor autônomo e o proprietário não conseguem que seu anúncio sequer apareça. Mesmo na busca avançada, é quase impossível encontrar anúncios que sejam de autônomos e particulares.

  • http://www.arevisaodetexto.com.br Axel Guedes

    Isso é realmente preocupante. Após a leitura desse post, tive a nítida sensação de que somos (os comerciantes) todos escravos do Google. Para quem deseja se livrar dessa situação, a carta de alforria se chama CONHECIMENTO ATUALIZADO, aquilo que é mais raro do que o próprio dinheiro.

    Mas, visto por outro lado, o pesquisador está sendo muito beneficiado – o que, de alguma forma, todos somos.

    Enfim, é um sistema de capitalismo do conhecimento!

    Grato, Conrado!

  • http://www.rendasempre.com.br Roberto Grozinski

    Olá Conrado,

    Parabéns pelo artigo, é muito bom frisar como o google esta trabalhando com o SEO atualmente, voltando um pouco no tempo, lembra que para aparecer nas primeiras páginas do Google era somente necessário fazer inserções das famosas meta tags que era muita coisa resolvida, tinha gente que enchia de Tags por toda a index repetindo sempre as mesmas, acredito que ainda tem muita gente fazendo isso por ai, ainda bem que o Google mudou a forma como ele analisa e colocando que tem o seu conteúdo original em destaque. Sempre acompanho seu site e do Michael Oliveira.

    Grande abraço e Suce$$o

    Roberto

  • http://www.oportunes.com/blog Willian Ricardo

    Ótimo artigo Conrado! bem pelo qual sabemos que competir com grandes empresas não é nada fácil, além do mais com o grande aumento da concorrência para um colocação nos motores de buscas.

    Hoje sabemos que para sermos eficientes e nossas estratégias bem realizadas temos que estar em constante aprendizado, pois por mais que ainda tenhamos uma boa qualidade em nossos artigos e postagens, ainda sim, iremos depender por muito tempo das buscas oriundas do Grandioso Mundo Google.

    Abraços e Sucesso em seu Dia…

    Att.
    Willian Ricardo

  • Gustavo

    Olá Conrado, Venho acompanhando seu trabalho faz tempo, e gosto muito de seus vídeos (apesar de ser imensos.. kkkkk) e seus posts. Parabéns pelo conteúdo mais uma vez. Criei um sorteio em uma página que administro no Facebook, e decidi como estratégia, não conseguir apenas pessoas que clicassem no botão curtir da página, e sim que fizessem um preenchimento de formulário, justamente para que a empresa tivesse um banco de dados com e-mails e dados das pessoas que realmente tivessem interesse nos produtos da empresa.

  • Eric Silva

    O que eu acho bacana do Conrado é que ele vai além do siga o meste, ele nos faz refletir e entende o processo além dos horizontes. isso não nos torna robôs mais autor de nossa história. E tenho certeza como diz meu professor Érico Rocha, Ninguém pode roubar sua lista.

  • http://www.cenedcursos.com.br Amarildo Ferrari

    Concordo plenamente com sua visão e reflexão sobre o Google. Principalmente porque já senti isso na pele, pois tenho uma pequena empresa e fui jogado para “baixo” nas buscas orgânicas. O estrago financeiro foi imediato. E, agora, busco alternativas para não investir no Adwords.

  • http://blog-marketisite.com Ricardo Sierban

    Olá Conrado, realmente o Google vem mudando as regras constantemente, mas eu não acho isso ruim, simplesmente força as pessoas para criarem conteúdo de qualidade em seus blogs e isso é muito bom.
    Você mesmo é uma pessoa que ensina isso, porém vai da compreensão dos blogueiros, Webmasters, redatores e outros para a criação de conteúdo e produtos que realmente agreguem valor à rede.
    Uma lista é muito importante sim, concordo plenamente, mas a impressão que tenho é que quando um assunto está em pauta as pessoas se esquecem de tudo que já aprenderam e focam-se somente no assunto em questão, para depois de um tempo aparecer outro “guru” e vender um curso específico sobre o que as pessoas já sabiam e esqueceram com o tempo e quero deixar claro que não é o seu caso porque somente o PlanoB” já mostra que a sua praia é outra, enfim, o que você quer e consegue em seus cursos é mostrar a famosa frase que diz “faça algo diferente para conseguir resultados diferentes”,

    Um grande abraço e que o seu sucesso continue sempre!

  • http://www.cupom-e-desconto.com Desconto Netshoes

    Muito obrigado pelas dicas.

  • http://www.descontoup.com Ronaldo

    ótimo artigo…

  • http://www.descontoup.com Ronaldo

    Muito bom a page..

  • http://www.jeffersonguillen.com.br Jefferson Guillen

    Excelente post, me faz pensar em muitas coisas como por exemplo, porque o Rico está cada vez mais rico e o pobre o que não teve condições de estudar está cada vez mais dependendo de um sistema que nos força a andar como eles querem que andemos. Eu digo não a esse sistema, que possamos a cada dia abrir essa caixa preta.

  • http://fernandobuenno.com.br Fernando Bueno

    Olá,
    Ótima abordagem e ponto de vista sobre o assunto. Acredito realmente em 2 pontos principais para que não fiquemos correndo tanto atrás do Google no que diz respeito a SEO:
    – Conteúdo original sempre
    – Relacionamento com sua audiência
    Devemos trabalhar com as ferramentas disponíveis, claro! Mas passe adiante seu CONHECIMENTO que terá bons retornos.
    Abs!

  • http://escolaimovel.com Henrique

    Muito Esclarecedor, obrigado.

  • http://www.brasilnaweb.com.br Luiz Eduardo

    A grande questão que vejo ficando para trás nessa estratégia de Adwords, Adwords e Adwords é que:

    – Se, de fato, SEO fica cada vez mais caro
    – Se, de fato, conteúdo original e contínuo é cada vez mais para grandes
    – Se, de fato, muitos estão cada vez mais pensando em vender informação do que expor como se expunha antes com o objetivo de monetizar, uma vez que no nível que fazem não conseguem converter em boas posicições no Google para vender algo que no passado vendiam.

    Então, muitas informações vão começar a ficar cada vez mais fechadas, abertas para quem paga, como sempre ocorreu nesse mundo onde nunca o conhecimento foi dado tão de graça quanto até então e agora está cada vez mais custando caro e precisando ser pago.

    Se por um lado o Adwords é saída FÁCIL para os pequenos, o pouco de conteúdo que este pequeno poderia contribuir com informações abertas ao público, tende a não mais ser divulgada, ou então, apenas vendida.

    É uma mecânica da informação que precisa ser bem equacionada, ou todo site daqui pra frente vai exigir seu email pra você entrar ou até mesmo seu cartão de crédito antes de lhe mostrar o TITLE!

    Parabéns Conrodo! Keep Pushing!

  • http://www.brasilnaweb.com.br Luiz Eduardo

    Desculpe Conrado! Acabei errando seu nome no final do meu comentário :)
    Corrija ele e apague este!

    Grande abraço!