• http://www.livepixel.com.br Rodrigo Maia

    Venho pensando muito nesse assunto nesses últimos dias, pensando em alguma maneira de gameficar um dos projetos que estou pra lançar.

    Algumas empresas já estão usando games online para treinamento de pessoal.

    Esse assunto é bem legal, você conhece algum case brasileiro nessa área?

  • http://www.dennisaltermann.com.br Dennis Altermann

    Texto muito interessante. A “gamificação” não é tão recente, isso que é engraçado. Inclusive temos bons exemplos, como jogo da 7Eleven com o “Spot”.

    Acho que agora vamos ver isso crescer muito graças as “novas tecnologias”, porque hoje jogamos no videogame, no computador, no celular, no smartphone, no Facebook e também no Google+

  • http://www.c2marketingdigital.com.br Ana Carla Cunha

    Legal, é uma tendência sim, no Brasil chegou devagar, mas muito milhões de dólares irão para essa área como o Conrado bem falou, parabéns pelo texto.

  • http://www.israelnacaxe.com Israel Nacaxe

    Conrado,
    Uma bela, divertida e completíssima introdução ao universo da gamificação! Tenho certeza que teremos inúmeras oportunidades para discutirmos os atuais e futuros cases brasileiros na área. O aperfeiçoamento dos processos através do “game thinking”, definitivamente, veio para ficar. Uma estatística que reforça sua opinião sobre as habilidades e motivações da geração atual que cresceu jogando video games e que conheci em uma palestra extremamente motivadora da Jane McGonial, outra autoridade no assunto é: uma pesquisa da Carnegie Mellon University revela que os jovens gastarão, em média, 10000 horas em jogos online até a idade de 21 anos. Nos EUA, 10080 horas é o necessário para educar uma criança da 5a. série até o high-school. Ou seja, toda uma educação paralela está acontecendo, onde estamos aprendendo, aperfeiçoando e incorporando a mecânicas dos games no nosso dia-a-dia. Que venha a Geração-G! Um grande abraço! Parabéns pelo post! @inacaxe

  • Pingback: ()

  • Pingback: ()