Medo de perder o controle: saiba agora como contornar isso!

É fato indiscutível que a maioria das infelicidades humanas se origina da falta de autocontrole — essa frase foi divulgada no ano de 1925 em uma das célebres obras do escritor e orador americano Napoleon Hill. É uma sabedoria antiga e talvez seja devido a concepções como essa que as pessoas sofram tanto por medo de perder o controle.

Estresse, desânimo, estagnação, emoções instáveis, pensamentos destrutivos, dificuldade de fazer escolhas, ataques de fúria — todas essas são manifestações típicas de descontrole. Atire a primeira pedra, porém, quem nunca pensou em desistir ou disse algo de que se arrependeu logo em seguida.

A vida nos impõe muitos desafios, principalmente no âmbito profissional. São muitas escolhas, expectativas, investimentos e cobranças internas e externas, portanto, não se sinta mal caso “perca a cabeça” de vez em quando.

A boa notícia é que existem várias maneiras de trabalhar o autocontrole e, neste post, você confere algumas delas. Continue a leitura!

Desapegue-se do perfeccionismo

Todos nós gostamos de aparentar prudência e compostura diante de problemas, escolhas e acontecimentos do dia a dia, mas convenhamos que nossas vidas nunca são tão equilibradas como gostaríamos, e está tudo bem. Não somos robôs, somos seres humanos incrivelmente complexos lidando com uma vida um tanto complicada também.

Aceite que nem tudo sairá como o previsto e entenda que pequenas falhas não definem a sua qualidade profissional. Claro que é sempre desejável querer dar o seu melhor, mas é também fundamental perceber quando isso se torna algo excessivo, por exemplo, quando você tenta controlar coisas que estão muito longe do seu controle.

Não deixe de se exercitar

Corpo e mente precisam estar em sintonia. Se você cuida mal da sua saúde, isso não se reflete apenas em seu corpo, mas também em sua disposição, em sua produtividade e em sua felicidade, inclusive, aumentando o medo de perder o controle.

As atividades físicas são um “remédio” universal. Bastam poucos minutos diários para que todas as áreas da sua vida sejam beneficiadas. No início, a preguiça tende a sugar a nossa energia, mas logo o bem-estar gerado compensa o esforço.

Utilize técnicas de relaxamento

Além das atividades físicas, técnicas de relaxamento podem contribuir para uma mente mais leve e equilibrada. Algumas delas são:

  • meditação: que, por princípio, consiste em “esvaziar” a mente e torná-la mais serena e menos apegada às preocupações;
  • ioga: que é uma forma de meditação em que se coloca o corpo em movimento;
  • exercícios de respiração: que servem para melhorar a eficiência da respiração e intensificar a oxigenação do cérebro.

Responsabilize-se pelas próprias ações

Certamente, não podemos controlar todos os detalhes das nossas vidas, mas também é certo que não somos completamente vítimas do que nos acontece. O sucesso é uma decisão, pois temos, sim, controle sobre nossos resultados: controlamos nossa mente, nosso comportamento e nossas escolhas.

O problema é que, frequentemente, nós nos boicotamos. Quando nos sentimos mal, comemos o que não devíamos, passamos mais tempo na cama, deixamos de praticar exercícios e nos isolamos. Por fim, nos sentimos ainda piores, e o esforço necessário para sair desse estado é muito maior.

Reconheça esses hábitos e comece a lidar com as dificuldades de uma maneira diferente. Tome as rédeas! Levante cedo, prepare um café da manhã saudável e exercite-se, por mais difícil que possa parecer. Assuma a responsabilidade pelos resultados que você tem e, então, dedique-se e trabalhe bastante pela vida que deseja viver.

Trabalhe sua inteligência emocional

Pessoas com inteligência emocional são resilientes, têm autocontrole e sabem se manter motivadas, pois conseguem identificar e trabalhar as suas emoções com mais facilidade, daí a sua importância. Confira algumas dicas para desenvolver essa habilidade:

  • observe e reflita sobre seu comportamento;
  • aprenda a dominar as suas emoções (as técnicas de relaxamento podem ajudar);
  • aceite e lide melhor com as emoções negativas;
  • trabalhe sua autoestima;
  • desenvolva sua empatia;
  • seja resiliente.

Os problemas e obstáculos são para todos, e as crises fazem parte do jogo. Só não é legal quando os transtornos começam a durar mais do que deveriam, trazendo mais prejuízos do que aprendizados. Portanto, não se trata de se livrar dos momentos ruins, mas de aprender a lidar melhor com as diferentes faces da vida.

E você? Já sentiu medo de perder o controle? Deixe um comentário no post e divida sua experiência conosco!