O que está acontecendo? – Por Conrado Adolpho

Aí você entra em uma grande empresa – que atue nas áreas de engenharia e infraestrutura, por exemplo – e vê que tem algumas coisas estranhas acontecendo nos bastidores. Mas, não é com você…

Depois, você comenta com um colega que ouviu falar de algo que soou um pouco fora dos padrões. Seu colega diz que o Brasil é assim mesmo e que sem isso não dá para crescer. Afinal, sabe como é, né?

Vocês conversam como no Brasil dar uma graninha para o guarda de trânsito ou para um fornecedor é uma instituição nacional. Você se sente um pouco desconfortável, mas se acostuma e começa a achar normal. Afinal, você é um homem honesto e cumpridor de todos os seus deveres (tirando um imposto ou outro).

Pouco tempo depois você se vê em uma situação que para você já é “normal” e que você precisa se envolver um pouco mais do que “só ficar sabendo“. Parece que está tudo bem e você até ganha um dinheirinho a mais no final do processo.

Você recebe um bom “agrado“. Seu líder fica feliz e parece que todos estão bem. Você sobe na hierarquia da empresa. Sua família fica feliz.

As transações vão ficando cada vez maiores e os agrados também. Você se sente um pouco incomodado no início, mas depois tudo se ajeita. O ser humano se acostuma a tudo quando começa a ser permissivo.

Você chega a dizer que não vai mais fazer isso. Está meio arriscado. Mas você já está muito envolvido e o dinheiro da próxima vez é ainda maior. E sua família nem sabe, então, não pode arriscar a viagem que prometeu a sua filha.

Um dia, você descobre que um dos herdeiros da empresa foi preso em uma operação da polícia federal e que até a investigação chegar até você é só uma questão de tempo.

Vale a pena?
Claro que não.

Pense bem onde você coloca sua credibilidade. Ela é de fato a única coisa que você tem. Todo o resto, podem levar de você, seu nome é sua garantia.

Não é porque “todo mundo faz” que é legal (legal, nos dois sentidos).

  • Vitor

    após 10 anos como funcionário em algumas multinacionais, sei q o mais comum é isso msm e com cargo de confiança é complicado ficar a todo momento sendo bombardeado com esse tipo de negócio é até desconfortante de ficar nesse ambiente.

  • http://www.jmartnegocios.com Juliano Antunes

    Conrado, você sempre surpreendendo no seu filtro de personas. Eu posso te afirmar que vivi nos bastidores de uma situação igual, mais não era protagonista e nem participava dos processos, mais existiam e sabia que era com muita frequência. A verdade é que foi isso tudo que me fez mudar o rumo da minha caminhada, hoje estou assiduamente lendo seus conteúdo e junto no Portal 8Ps também, e olha que meu avanço no marketing digital se deu muito pelo seus insights e sua experiência compartilhada. Agradeço a Deus e a minha família por ter me ensinado o caminho certo das coisas e a minha consciência e honestidade que não me corrompi com ofertas desonestas. Acredito verdadeiramente na prosperidade construída em cima de pilares sólidos de concreto 30Mpa e com quanto a fundação desta obra (meus pais) agradeço todos os dias. Mais vamos para a ação que 2017 vai ser o ano de realizações. Grande abraço e sempre sucesso nos negócios.

  • http://www.ElderCristhian.Com/ Elder Cristhian

    Minha opinião é a mesma de Machado de Assis: “A ocasião NÃO faz o ladrão, ela o revela.”

  • Klenia

    Muito bom o artigo de hoje. Estive em uma empresa que era assim é a diferença é que eu preferi não aceitar. Resultado: demissão! Mas foi a partir daí que conheci Marketing Digital e você Conrado Adolpho. Foi a melhor coisa que me aconteceu!