Conrado Adolpho A quantidade de informações que se recebe por dia é assombrosa. Outro dia, fui a uma loja comprar um smartphone para mim. Uma hora e meia depois de olhar incessantemente todas as opções disponíveis, vi-me incapaz de escolher com segurança um que se adequasse às minhas necessidades. Para cada modelo que escolhia, o vendedor me mostrava ou eu via um melhor com mais funcionalidades e, lógico, mais caro. Quando tinha escolhido um, o vendedor falou: “Na semana que vem vou receber um da Continue lendo

Image by Tom Raftery via Flickr Descobri uma nova ferramenta muito interessante para blogueiro, se chama Zemanta. Ela identifica que você está escrevendo na área de administração, por exemplo, do WordPress, e lhe sugere links de empresas e outros players do mercado de web automaticamente, à medida em que escreve. Facilita demais o trabalho de linkar conteúdo e fazer um trabalho mais profundo de hipertextualização. Ele sugere, tanto links quanto imagens. Vale a pena

Outro dia um amigo meu me contou a seguinte história. No atendimento de um cliente proprietário de uma grande loja de departamentos na cidade de Campinas, enviou um e-mail com a descrição de um novo serviço pedindo para que fosse agendada uma reunião. Nenhuma resposta. Resolveu reenviar o e-mail na dúvida se ele teria lido na dentre a provável montanha de e-mails que deveria receber por dia. Novamente, resposta alguma veio nos dois ou três dias posteriores. Resolveu ir até a loja. Encontrando o seu Continue lendo

Há 30 anos o processo de lançar um produto era uma pequena fórmula que todos seguiam. A empresa detectava uma demanda no seu segmento, fazia uma pesquisa de mercado (que, diga-se de passagem, custava uma fortuna e nem sempre fornecia as respostas corretas), gastava-se um ou dois anos em pesquisas e só depois disso iniciava a produção em larga escala. Após os produtos saírem da fábrica, o departamento comercial ia para as ruas para cuidar da distribuição. A ordem era “desovar o estoque”. O risco Continue lendo

Em cena do célebre filme O Nome da Rosa, o personagem de Sean Connery descobre uma biblioteca secreta no convento onde estava: o acesso à informação era algo quase que pecaminoso. Felizmente, esse tempo já acabou. Ao contrário do que ocorria até alguns anos atrás, o problema pelo qual passamos hoje não é mais o difícil acesso à informação, mas sua sobrecarga. Os estimados 100 bilhões de neurônios de que dispomos parecem não ser suficientes para armazenar a quantidade de informações que recebemos dia a Continue lendo

Que o mundo mudou, todos nós já sabemos e isso até se tornou chavão corporativo, a pergunta, porém, é: mudou para onde? A principal mudança se deu devido à mudança no próprio comportamento do consumidor. Ele se tornou mais ativo e exigente, contudo, as empresas não estão sabendo lidar com isso devidamente. Imaginando que exista um Grau de Atividade das empresas, que se traduz em investimento em mídia, ele só fez aumentar ao longo dos últimos anos. Da mesma maneira, podemos raciocinar com relação ao Continue lendo

Uma característica essencial da rede é a desconstrução da tradicional relação forma-conteúdo, privilegiando o conteúdo, e gerando reflexos econômicos relevantes para as empresas, como por exemplo, a “desintermediação”. Entenda por desintermediação o processo pelo qual qualquer elemento entre o produtor e o consumidor que não agregue valor ao produto será posto para fora da transação. Já viram o banner da Sony vendendo câmera digital diretamente da fábrica pela sua loja “Sony Style” em dez vezes sem juros? Se você tem um varejo que vende câmeras Continue lendo