“Só há um único critério para você medir seu sucesso: o nível de paz de espírito que você sente dentro de você” Eckhart Tolle

Você já parou para pensar nisso?

Tudo que queremos conseguir de bens materiais é para termos paz de espírito.

Vivemos em um país que obriga os cidadãos a viverem uma vida sem um mínimo de dignidade.

Quando não tinha carro e todos os dias enfrentava um ônibus lotado, tudo que eu queria era um carro. Qualquer um…

Quando comprei um, comecei a pensar em um carro melhor e por aí vai. Até que comecei a me perguntar: por que?

Queremos a maior quantidade possível de dinheiro para ter o máximo de segurança;

Queremos o melhor carro para nos sentirmos recompensados;

Queremos a roupa de marca mais cara para melhorarmos nossa auto-imagem

O que procuramos com tudo isso é paz de espírito.

Não há nada de errado em comprar uma boa roupa, ter um bom carro e ganhar dinheiro, mas até que preço topamos pagar por tudo isso?

Se nos sentirmos bem, mesmo sem tanto dinheiro, sem o melhor carro ou sem a roupa mais cara, para que servirão essas coisas?

A partir de certo ponto essas coisas perdem o sentido porque já alcançamos aquilo que buscávamos – a paz – com menos do que achávamos que precisaríamos.

Lembro que percebi que não precisava pagar preços mais altos em carros quando cheguei em um Punto usado de 5 anos antes. A partir dali eu já estava bem.

Se temos o que precisamos para viver uma vida digna e ainda buscamos mais, há um problema de tentar preencher lacunas internas com coisas externas. É como tentar colocar peças quadradas em buracos redondos.

Como descobrir qual a nossa medida de sucesso, então?

Olhando para dentro de nós mesmos e enxergando o que nos faz realmente feliz, o que nos deixa em paz.

A melhor maneira de olhar para dentro de nós mesmos é passando tempo de qualidade com nossa própria companhia.

Meditando, curtindo o silêncio e refletindo a respeito dos nossos atos na vida cotidiana e nossos pensamentos.

Queremos uma roupa nova por inveja ou por necessidade? Estamos colocando numa etiqueta a nossa felicidade? Nossa paz?

Pensar nessas coisas é o exercício que pratico dia a dia para entender cada vez melhor a medida do que é sucesso e o que me deixa realmente feliz.

Se fizer o mesmo, vai descobrir que precisa de muito menos do que acha. Vai eliminar o excesso e possuir verdadeiramente menos coisas ao invés de ser possuído por muitas das coisas que tem hoje.

O resultado vai ser um só: desapego da matéria para valorizar o intangível. O que é invisível aos olhos.

Não seja possuído pelas coisas. Nós, seres humanos que as criamos. Não deixe que a criatura possua o criador.

Vai demorar, mas vai valer a pena. Após essa percepção, sua vida muda

  • Aninha Moreira

    Lindo artigo Conrado! Suas reflexões demonstram o quanto
    você é uma especial!