fbpx

O que fazer e o que não fazer… – Por Conrado Adolpho

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
O que fazer

Para tomar decisões do que fazer ou não fazer na minha vida, eu uso a “técnica da minha festa de 80 anos“.

Primeiro, eu me imagino no meu aniversário de 80 anos. Aquela idade em que você já comprou a passagem e está apenas esperando o trem chegar.

Aquela idade em que o que foi segredo algum dia já não importa mais e o que era novidade já virou história.

Uma idade em que a contemplação toma o lugar da ostentação. Que o espelho mostra cada batalha, vencida ou perdida, mas vivida.

Me imagino nessa festa com filhos e netos pela casa. Crianças e adultos se esbarrando e eu observando tudo aquilo como se fosse uma testemunha da minha própria vida.

Uma dada hora, já depois do bolo (com aquelas duas famigeradas velinhas com os números 8 e 0), quase no final da festa, alguns se reúnem em torno de mim para ouvir minhas histórias.

Começo a contar as passagens da minha vida. Na minha imaginação, nessa hora, imagino o que vou contar e me faço algumas perguntas.

Que histórias vou querer contar para meus filhos e netos?

O que terei vergonha de contar? Será que realmente preciso fazer alguma coisa da qual vou me envergonhar de contar depois?

Quais serão as histórias escondidas de que me lembro, mas não convém contar? Preciso tê-las, de fato, na minha vida?

De quais histórias mais me orgulharei de contar? Quais irão encher o meu peito de orgulho e os meus olhos de lágrimas?

Eu já tenho essas histórias ou ainda terei que construí-las na minha vida?

Quais não vou contar porque as pessoas diriam “Vovô! Que ousado você era!“, mas que me trazem um imperceptível sorriso no canto dos lábios?

Depois que imagino essa minha festa e as minhas histórias em volta da mesinha de centro da enorme sala, fica muito mais fácil tomar uma decisão.

Experimente também essa técnica.

Devo adverti-lo que talvez não goste do que vai imaginar para a sua festa de 80 anos com o que viveu até agora. Pode ser que as histórias que vai contar não sejam as melhores. Talvez até tenha que esconder mais histórias do que gostaria. Pode ser também que não tenha tantas das quais se orgulha.

A boa notícia é que a sua festa de 80 anos é construída dia a dia. Assim que terminar de ler esse texto você já pode mudar os rumos dessa sua grande festa.

Dito isso, imagine a sua festa ideal e comece já a construí-la.

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram